Ligue:
(11)3057-2140
3057-1769

Nossa equipe

Ortodontia

A Ortodontia utiliza predominantemente “aparelhos fixos”, colados aos dentes e algumas vezes recursos removíveis conjugados a estes.

Essa modalidade de tratamento pode ser indicada para pacientes adolescentes e adultos, preferencialmente portadores de problemas relacionados a dentes excessivamente girados e inclinados.

As bases ósseas devem estar de preferência bem relacionadas entre si tanto em uma vista frontal quanto em uma vista lateral.

Abaixo, peças de cerâmica normais comparadas as de safira.

Aparelhos Invisíveis

Atualmente, o alinhamento do sorriso pode ser realizado com aparelhos praticamente invisíveis, também conhecidos como alinhadores ortodônticos. São modernos, muito confortáveis e não interferem na fala do paciente. São também removíveis, ou seja, você pode retirá-los para comer e fazer a higiene oral. Tratamentos rápidos, praticamente indolores e que não interferem no seu estilo de vida. Se você já utilizou ou não algum tipo de aparelho, porém ainda gostaria de fazer pequenos ajustes para deixar o seu sorriso ainda mais bonito, procure um dos nossos dentistas!

Os tratamentos não são apenas estéticos, pois dentes mal posicionados dificultam a higiene oral, as gengivas podem ficar inflamadas e, a longo prazo, o osso que suporta os dentes na boca pode ser perdido. Os dentes corretamente alinhados podem propiciar uma melhor saúde periodontal, além de um sorriso simétrico, mais bonito e harmonioso.

Ortopedia Funcional dos Maxilares


O que é "ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES"(OFM)?

Os aparelhos ortopédicos funcionais são utilizados por dentistas na Europa há mais de um século e no Brasil há mais de 50 anos, com excelentes e consistentes resultados. A OFM foi reconhecida como especialidade odontológica pelo Conselho Federal de Odontologia Brasileiro no ano de 2002.

A OFM atua através da prevenção, do controle e do tratamento dos desequilíbrios ósseos, musculares, dentários e articulares.

A utilização de aparelhos removíveis possibilita intervenções precoces, capazes de corrigir problemas detectados desde os primeiros anos de vida.

Por que começar um tratamento com aparelhos dentários antes dos 6 anos de idade?

Quanto antes for realizado o diagnóstico, mais favorável será o prognóstico.

  • Quanto mais jovem a criança. maior é sua plasticidade óssea e a capacidade de resposta do seu organismo ao tratamento.
  • Os resultados são qualitativamente superiores, o tratamento tem menor duração e os casos tendem a ser mais estáveis (com menor reincidência de problemas).
  • As possibilidades de assimetrias faciais são reduzidas e estimula-se o desenvolvimento de um perfil mais harmônica da face.

Como reconhecer se o seu filho necessita de tratamento?

Você pode observar a existência de alguns sinais na boca de seu filho:

  • Alterações de posicionamento dental. como alinhamentos (dentes tortos);
  • Falta de espaço entre os dentes de leite;
  • Mordidas Abertas (normalmente causadas por chupeta ou dedo);
  • Mordidas Profundas (dentes superiores cobrindo totalmente os dentes inferiores);
  • Mordidas Cruzadas;
  • Falta ou excesso de desenvolvimento mandibular (queixo para frente ou para trás);
  • Respiração bucal ronco e/ ou baba no travesseiro durante o sono;
  • Mau posicionamento da língua durante fala ou deglutição;
  • Dor de cabeça frequente, dificuldade em abrir a boca, estalos perto do ouvido;

É possível iniciar o tratamento em qualquer idade?

Sim, o tratamento pode ser iniciado assim que o problema for diagnosticado. Nas crianças com menos de quatro anos de idade. o tratamento já pode ser realizado até mesmo sem o uso de aparelhos dentários.

Como é o tratamento?

A) Na dentição decídua (de leite).

Caracteriza-se pela utilização de Pistas Diretas Planas, isto é, pela colocação de resina composta fotopolimerizável (resina de restaurações) em determinados locais da boca, com o objetivo de redirecionar O crescimento ósseo.

B) Na dentição mista e permanente.

Consiste na utilização de aparelhos ortopédicos funcionais.

Como são os aparelhos ortopédicos funcionais?

  • São todos removíveis, o que possibilita uma correta higienização do aparelho e da boca;
  • Atuam nos ossos, músculos e dentes, o que garante um tratamento mais completo, pois corrigem não só a parte dentãf'1a. como a funcional [respiração e deglutição) e também o perfil do paciente;
  • Atuam através de estímulos funcionais (forças muito leves), por isso não causam dor;
  • Os infantis podem ser coloridos e lúdicos;


clique na imagem para ampliar

Cirurgia Ortognática

(associada ao tratamento ortodôntico)

Opção de tratamento realizada em casos de discrepâncias ósseas severas. Não é possível ao profissional através do uso exclusivo de aparelhos ortodônticos ou ortopédicos-funcionais promover as correções necessárias. O paciente passa por três fases de tratamento: Ortodôntico pré-cirúrgico, Cirúrgico e Ortodôntico pós-cirúrgico.

Vídeos:



Endodontia (Canal)

A endodontia é a especialidade da odontologia popularmente conhecida como tratamento de canal, responsável pela prevenção e tratamento das doenças da polpa do dente.

A endodontia atua promovendo o alívio da dor em dentes inflamados, e/ou também na descontaminação devido a necrose pulpar (morte do nervo do dente) e suas possíveis conseqüências, como abscessos, lesões entre outros.

A realização da endodontia hoje é considerada como um procedimento de rotina e é muito mais rápida que há tempos atrás, devido ao avanço de técnicas modernas como o uso de equipamentos eletrônicos que medem o comprimento das raízes, e motores que utilizam limas rotatórias, reduzindo muito o tempo de trabalho.

Basicamente, o tratamento de endodontia, se resume em uma completa eliminação do tecido pulpar (nervo) de dentro do canal radicular e posterior obturação.

A endodontia do dente pode ainda ser necessário em casos de traumas dentais, ou por necessidades restauradoras. Tudo isso é feito rapidamente e sem dor e normalmente pode ser realizado em até uma só consulta, dependendo da indicação de cada caso.

Esclarecendo dúvidas freqüentes em Endodontia (canal):

Realizar a endodontia enfraquece o dente?

Normalmente o que causa enfraquecimento do dente é a perda de estrutura dental, que é causada pela cárie dental, porém sempre é levado em consideração o quanto essa estrutura do dente foi abalada no momento de restaurara-lo escolhendo assim os materiais mais adequados para tal.

Quando é necessário realizar novamente a endodontia no mesmo dente?

Existe a possibilidade de refazer a endodontia, caso o tratamento anterior não tenha sido executado perfeitamente devido a alguma dificuldade durante o seu procedimento. Porem o que o mais ocorre na maioria dos casos é a re contaminação do canal do dente por bactérias presentes na saliva devido a restaurações infiltradas, mal executadas ou fraturadas.

Após o realizar a endodontia em um dente é comum sentir dor?

Não. O que pode acontecer nos primeiros dias é ficar sensível na região onde foi feito o tratamento, e no local da aplicação do anestésico, onde isto que pode ser resolvida prescrevendo medicação para tal.

O dente que foi realizado a endodontia, pode voltar a doer no futuro?

Sim, mesmo que a deste dente tenha sido bem executada, se não realizar a restauração definitiva para vedar o tratamento

O dente morre depois de realizar a endodontia?

Este dente não responde mais à variações de temperatura que acontecem na boca; por exemplo quando bebemos uma água muito gelada, ou ingerimos uma bebida muito quente, mas ainda possui todos os tecidos periodontais que o nutrem e o fixam na boca que ainda são vivos.

O dente pode escurecer após a realização da endodontia?

Não. O que normalmente acontece é a perda do brilho com ele seco, e ficar um pouco mais amarelado. Porém pode ser clareado com o passar do tempo. O escurecimento acinzentado do dente só ocorre quando ele sofre uma hemorragia ou mortificação pulpar antes do tratamento, ou seja, ocorre a “morte do nervo” do dente e o paciente demora a realizar a ou então, por erro técnico. Hoje em dia, os cimentos utilizados são claros e não interferem na cor do dente.

O que acontece se não for realizada a endodontia?

Você começará a sentir dores constantes e desenvolver uma lesão na região apical (infecção no final da raiz e nos tecidos vizinhos), que poderá ter conseqüências mais sérias, como inchaço (abscesso), bacteremia (bactérias na corrente sanguínea) e febre devido a infecção. Dependendo, do tempo em a infecção está instalada corre-se o risco de perda do elemento dental.

Implantes Dentários

Perdeu um dente? Sua dentadura lhe incomoda? Substitua sua dentadura por Implantes Dentários. A Clínica Sinthesi possui profissional especialista para a colocação de implantes dentários.

Quer voltar a sorrir novamente? Ter uma mastigação segura e tranquila? Não aguenta mais sua dentadura ou o incômodo gerado pela sua manutenção? Os implantes dentários são uma solução segura e altamente natural para quem perdeu um ou mais dentes e deseja ter a estética do sorriso e função mastigatória novamente.

A Sinthesi possui um profissional altamente renomado e qualificado para colocação de implantes. São milhares de casos de sucesso e a tecnologia auxilia ainda mais em todo processo. Hoje os implantes utilizados pela Sinthesi possuem tecnologia que permitem sua colocação em um curto espaço de tempo e seu sorriso será reconquistado rapidamente. Agende sua avaliação, converse com nosso especialista e faremos um planejamento personalizado para o seu caso.

Prótese

Responsável pela substituição de um ou mais dentes perdidos por cárie, doença periodontal ou trauma, com a finalidade de restaurar a função mastigatória, estética e fonética. Podem ser em metal, cerâmicas ou metal com cerâmica. Podem ser divididas em:

Prótese parcial removível: são feitas em acrílico, com ou sem metal, e são fixadas nos dentes remanescentes e tecidos moles.

Prótese total removível: são feitas em acrílico e servem para substituir todos os dentes perdidos. São fixadas somente em tecido mole.

Próteses parciais fixas (coroas e pontes): tem a função de substituírem ou mais dentes perdidos. Podem ser fixadas em dente remanescente (normalmente a raiz) ou sobre implante

Estética Dental

Você nunca se sentiu curioso para saber o segredo do lindo Sorriso das Celebridades? A Odontologia oferece técnicas que possibilitam um sorriso perfeito, branco e destacado. Conheça algumas destas técnicas.

Lentes de contato Dentais

Lentes de Contato Dentais são facetas em pequena espessura que podem ser utilizadas em pacientes que possuem pequenas deformações ou alterações na cor dos dentes.
Com as Lentes de Contato Dentais os dentes quase não sofrem com as reduções. O diferencial desse material é que ele é feito com uma porcelana especial, mais forte e mais fina, com cerca de 0,2 milímetros. Dentes machados, descoloridos, fraturados, com sinais de envelhecimento, desalinhados ou com diastema são alguns dos casos indicados para o uso das lentes de contato. O objetivo é criar um sorriso bonito, bem cuidado e alinhado.

Facetas Laminadas

Com o uso das facetas laminadas de porcelana ou clareamento dental, o sorriso se renova.

O Sorriso belo e brilhante das celebridades não é exclusividade do meio artístico. Com o uso das facetas laminadas de porcelana, preenche-se espaços, corrige-se o formato e a proporção dos dentes, além de ser possível consertar fraturas e desgastes, recobrir obturações antigas e deixar os dentes com aspecto “novo”.

A confecção de uma faceta é artesanal, seguindo um estudo minucioso do desenho do rosto, dos dentes e da transformação pretendida no sorriso. A título de curiosidade, os sorrisos perfeitos das celebridades, em sua maioria, são “criados” com facetas de porcelana. Quando os dentes estão em formatos perfeitos, o clareamento dental oferece um aspecto lindo e brilhante. Portanto, o seu sorriso também pode ser renovado. Para mais detalhes, entre em contato conosco. Ligue e agende a sua avaliação para conhecer todas possibilidades.

Restauração com uso de materiais estéticos de última geração, plastias gengivais, etc.

Os dentes posteriores que antes eram restaurados apenas por amálgama de prata (material metálico, de cor cinza), agora já podem ser restaurados em resina, na cor natural dos dentes, sendo realizada no próprio consultório.


clique na imagem para ampliar

Nos casos onde a destruição dental é maior, é necessário ser realizada a moldagem no consultório para a feitura da Inlay/Onlay (como é chamado este tratamento) em laboratório, podendo ser em resina ou em porcelana.

Estética do Sorriso

Consiste em realizar pequenos acertos na forma de desgastes (mínimos) em alguns dentes e acréscimos (de resina) em outros, com a finalidade de tornar o sorriso mais bonito e harmonioso.

Cirurgia Oral (bucomaxilofacial)

Especialidade odontológica responsável pelo tratamento de problemas relacionados aos dentes e ossos da região da face. Trata desde a remoção de dentes inclusos (como o siso), até a realização de enxertos ósseos e posterior colocação de implantes, além de intervenções em alterações patológicas (como tumores), malformações estruturais e traumas dos ossos da face.

Odontopediatria

A odontopediatria é o ramo da odontologia que cuida da saúde bucal das crianças. Hoje sabemos que o grande medo que as pessoas têm de enfrentar a cadeira do dentista é devido às experiências negativas que tiveram quando crianças. Por esse motivo, o trabalho do odontopediatra é tão importante.

São eles os responsáveis pela higiene não só das crianças que já tem dentinhos, mas também dos bebês e das gestantes.As mães devem procurar esses profissionais ainda durante a gravidez, para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento.

O tratamento para crianças também requer cuidado especial. Os pequenos precisam de maior atenção e psicologia para que a visita ao dentista não vire uma tortura. O ambiente deve ser atrativo, ajudando a criança a se sentir confiante e descontraída.

Orientação a Gestante

A saúde do bebe é reflexo da qualidade de vida da mãe. Durante a gravidez, devido às mudanças hormonais, as mães têm maior chance de desenvolver periodontite- infecção da gengiva. Para que isso não ocorra a higiene bucal deve ser realizada com muito mais “cuidado e atenção” e as visitas ao dentista devem ser mais frequentes. A infecção bucal é um fator de risco para a unidade fetal placentária, podendo levar a prematuridade.

A dieta da mãe tem papel fundamental na formação dos dentes. As proteínas, cálcio e vitaminas A, B, C, D, E, influenciam no processo de formação, maturação e erupção dos dentes. Os germes dentários são formados à partir da 4ª semana da vida intra-utereina, portanto suplementos com flúor devem ser evitados para previnir a fluorose .

O feto também desenvolve os sentidos no útero, a partir do 4º mês de vida intra-uterina ele já tem paladar, portanto se a mãe ingerir muito açúcar na gravidez o bebê poderá adquirir esse paladar.

Aleitamento

Aleitamento Materno

O aleitamento materno é muito importante para o crescimento e desenvolvimento sistêmico, físico, imunológico e emocional do recém-nascido, além de proporcionar um crescimento facial adequado.

O leite materno é muito mais que uma simples coleção de nutrientes, é uma substância viva de grande complexidade biológica, ativamente protetora e imunomoduladora. Não proporciona apenas proteção exclusiva contra infecções e alergias como estimula o desenvolvimento adequado do sistema imunológico do bebê e contém ainda muitos componentes antiinflamatórios. O leite materno não tem substituto, por isso deve ser estimulado e promovido em todas as circunstâncias.

O aleitamento deve ser irrestrito e utilizado em livre demanda enquanto o bebê é desdentado (até os seis meses).

O bebê que mama no peito tem menor possibilidade de adquirir hábitos de sucção não nutritivos como sucção de dedo ou chupeta, pois a amamentação lhes causa fadiga muscular, seguindo-se o sono.

Durante a amamentação o bebê não solta o peito e respira exclusivamente pelo nariz. A respiração nasal é responsável pela filtragem, umidificação e aquecimento do ar e é imprescindível ao correto desenvolvimento facial.

O crescimento facial harmônico é fundamental não apenas por questões estéticas, mas também, para o bom funcionamento do sistema mastigatório podendo evitar no futuro a necessidade de correção ortodôntica, protética e até cirurgia do conjunto dento-maxilo-mandibular. Ao nascer a criança tem a mandíbula retruída, a amamentação promove o crescimento e posicionamento normal da mandíbula através da atividade muscular que é sessenta vezes maior que no aleitamento artificial. O bebe não deve mamar na posição horizontal, deve ficar sentado ou “em pé”.

O aleitamento materno é nutrição, é carinho, é prazer e ortodontia preventiva gratuita.


Aleitamento Artificial

Quase toda mulher pode amamentar seu filho até mesmo se for adotivo. Entretanto se for necessário o uso da mamadeira deve-se:

  • usar bico ortodôntico; não aumentar o furo do bico;
  • não adicionar açúcar , chocolate, farinhas, etc.;
  • não deixar a criança segurar a mamadeira sozinha, pois a presença e o afeto da mãe são fundamentais;
  • não deixar a criança deitada, pode provocar otite;
  • mudar a criança de lado (como no peito).

Desmame

Após a erupção dos primeiros dentes, o aleitamento noturno deve ser controlado, pois pode provocar desmineralização dos dentes.

Durante a noite, dar água ou chá sem açúcar, o que dará a sensação de saciedade.

O desmame deve ocorrer por volta dos 12 meses de idade. A criança deve deixar o peito e usar o copo.

A mamadeira deve ser evitada, pois ela pode causar a deglutição atípica e a respiração bucal.

Hábitos de sucção não nutritivos

A sucção visa não só a nutrição do bebê, mas também atenderá a sua necessidade psicoemocional que poderá ser saciada ou não com o aleitamento materno.

Desta forma, a chupeta poderá funcionar como um suplemento neste processo, devendo ser utilizada só na hora de dormir e retirada quando a criança adormece. O ideal é que o hábito termine aos 2 anos.

Se utilizada, a chupeta deverá ser ortodôntica, para possibilitar o correto posicionamento da língua.

A sucção do dedo é mais prejudicial além de ser mais difícil de eliminar o hábito.

Dentes de leite

A erupção dos primeiros dentes, usualmente os incisivos inferiores, ocorre por volta dos 6 meses, (mas poderá acontecer até 1 ano de idade, sem motivo para preocupação).

Na época de erupção dos dentes a criança pode apresentar salivação abundante, diarréia, sono agitado, um pouco de febre inapetência e vômito.

A conduta deve ser o tratamento sintomático dessas alterações, massagem digital com o dedo sobre o local e uso de mordedores resfriados.

A dentição primária se completa geralmente aos 2 anos são 20 dentes conhecidos como dentes de leite porque são branquinhos como leite.

Manter a dentição sadia é grande responsabilidade dos pais, pois ela exerce funções muito importantes, mastigação, fonação, respiração e estética.

A manutenção dos dentes de leite hígidos até o momento sua esfoliação normal é muito importante para o desenvolvimento da oclusão.

A erupção dos primeiros molares permanentes ocorre geralmente aos 6 anos, mas pode ocorrer antes e até passar despercebida. É muito importante nessa ocasião a visita ao dentista para a realização de procedimentos preventivos e os pais deverão ter maiores cuidados, pois a escovação destes dentes é muito difícil e pode ocorrer cárie rapidamente.

Higiene bucal

A limpeza pode começar antes da erupção dos dentes para tornar a cavidade bucal mais limpa e para habituar a criança à manipulação de sua boca.

A limpeza efetiva começa com a erupção dos primeiros dentes principalmente à noite, após a última mamada. Deve ser feita com fralda ou gaze envolta no dedo indicador ou através de dedeiras próprias para este fim, utilizando água filtrada ou fervida. Esta limpeza deve ser feita até a erupção dos molares de leite, quando deve iniciar a escovação com escovas pequenas e bem macias com uma pequena quantidade de creme dental.

A escovação deve ser orientada pelo odontopediatra e supervisionada pelos pais até 8 ou 9 anos de idade. A escovação deve ser feita após as refeições e principalmente antes de dormir. Devemos lembrar que as escovas devem ser sempre pequenas e macias e devem ser substituídas sempre que as cerdas “abrirem”.

O fio dental também é essencial à saúde bucal e deve ser usado de acordo com a orientação profissional.

ATENÇÃO: O creme dental com flúor deve ser utilizado apenas quando a criança parar de ingerir a pasta, antes disso utilizar creme dental sem flúor.

Alimentação

Aos seis meses o aleitamento deve ser complementado com uma alimentação pastosa, que deve se tornar sólida gradativamente, de acordo com a erupção dos dentes. Evitar danoninhos e papinhas industrializadas, dar preferência às comidas caseiras. Desfiar e amassar os alimentos é melhor para o desenvolvimento da musculatura. A alimentação liquefeita não exige esforço muscular não estimulando o crescimento facial adequado.

Dentes são para mastigar, portanto, assim que os molares irropem, incentivar o consumo de alimentos duros e secos, como maçã, cenoura, verduras e legumes o que contribuirá para o crescimento dos maxilares prevenindo a falta de espaço para os dentes.

A criança vai desenvolver o paladar de acordo com os alimentos que receber, por isso evitar doces. Se não houver oferta, a criança não sentirá falta.

Os carboidratos- açúcar, farinha, amido, balas, bolachas, salgadinhos- são responsáveis pela colonização dos microorganismos que causam a doença cárie.

A freqüência da ingestão é mais grave que a quantidade, cada vez que há a ingestão de carboidratos há queda do ph bucal provocando acidez que provoca desmineralização dos dentes, isto é, lesão de cárie.

Para a saúde bucal é melhor comer um pacote de bolachas de uma só vez do que comer uma bolacha a cada meia hora, pois haverá neutralização da acidez bucal se não houver nova ingestão de carboidrato, possibilitando a remineralização do esmalte.

O consumo de doces e sucos ácidos durante as refeições é menos nocivo, pois a mastigação provoca maior salivação que neutraliza a acidez bucal, evitando as cáries.

Portanto devemos evitar os “lanchinhos”, ingestão de açúcar entre as refeições, as balas, chicletes e outras guloseimas sem qualquer valor nutritivo e altamente cariogênicas. Prefira alimentos que reduzem a acidez como, por exemplo: queijos, presunto, ovos, pipoca e sementes oleoginosas (amendoim, nozes, etc...).

Cárie

A cárie é uma doença multifatorial infectocontagiosa que pode afetar a criança desde a erupção dos primeiros dentes.

A lesão de cárie se inicia com a desmineralização do esmalte, uma mancha branca que se não for tratada, se transformará numa cavidade, podendo provocar uma infecção e até levar a perda do dente de leite, desarmonizando mais tarde a dentição permanente.

Transmissibilidade

O bebê nasce livre de microorganismos causadores da doença cárie. Quando o 1º dente erupciona (por volta do 6º mês de vida) se estabelece a 1ª janela de infectibilidade, isto é, a criança já é um hospedeiro para as bactérias causadoras da cárie. As mães e as pessoas que cuidam da criança devem evitar beijos próximos a boca, assoprar e provar a comida e devem cuidar muito da própria saúde bucal.

O bebê deve ter seus próprios utensílios, talheres, prato e copo.

Flúor

O Flúor é importante para o desenvolvimento dos dentes tornando-os menos suceptíveis à cárie, isto é, mais resistentes a desmineralização. A dose terapêutica de ingestão de flúor é de 0,05 mg/kg de peso corporal. Assim sendo apenas o flúor da água de abastecimento (0,6 ppm ou mg/l) já é suficiente.

O excesso de flúor causa fluorose, manchas e hipoplasias. É importante observar a quantidade de flúor na água mineral. O chá preto contém muito flúor para uma criança de 12 kg, uma lata por dia pode causar fluorose. A aplicação de flúor tópico gel ou enxaguatórios será indicada pelo profissional de acordo com cada caso individualmente.

Suplementos de flúor não são indicados nas cidades onde há fluoretação da água de abastecimento.

Gengiva

A gengiva normal é rosada e não deve sangrar durante a escovação. Se isto ocorrer, ou a gengiva estiver avermelhada é uma gengivite, cuja causa principal é o acúmulo de placa (bactérias e restos de alimentos) na superfície dos dentes. A gengivite não tratada pode evoluir para periodontite.

Traumatismos

São muitos freqüentes na primeira infância, podem ocorrer intrusões, fraturas, luxações e avulsões. É muito importante procurar o dentista o mais rápido possível.

Nos casos de fratura, deve-se procurar o fragmento e colocar numa solução de soro fisiolólgico ou leite e levar ao dentista. Nos casos de avulsão de dente permanente, recomenda-se lavar em soro fisiológico, reposicionar o dente no alvéolo o mais rápido possível, mantê-lo em posição e procurar o dentista imediatamente. Se não for possível reimplantar ir ao consultório odontológico imediatamente.

Se o dente avulsionado for decíduo ele poderá ser reimplantado dependendo se já houve ou não reabsorção radicular, então a possibilidade de reimplante deve ser analisada pelo profissional.

Periodontia


Periodontia é a área da odontologia que trata da gengiva e das estruturas que suportam os dentes.

Os sinais que indicam que a sua gengiva está doente são: sangramento, inchaço, mal hálito, contorno gengival alterado, mobilidade dentária, presença de placa bacteriana e tártaro. A doença periodontal pode ser agravada por fumo, diabetes, bruxismo, desarmonia oclusal, doenças sistêmicas. Podemos tratar da doença periodontal através de profilaxia (limpeza), raspagens supra e sub gengival, orientação de higiene e controles regulares. As seqüelas deixadas pela doença podem ser tratadas por cirurgias gengivais (plástica na gengiva).

Pré-Natal Odontológico

Você sabia que problemas da gengiva podem ser um dos fatores de parto prematuro?

Mais de 30% das gestantes terão algum tipo de doença na gengiva devido às alterações hormonais que poderiam ser prevenidas com um bom acompanhamento odontológico na gestação.

O pré-natal é importante para o desenvolvimento do bebê e a manutenção da saúde da mãe. Mas a maioria das mães não sabe que, tão importante quanto visitar seu obstetra regularmente, é visitar o odontopediatra e fazer o pré-natal odontológico.

Na primeira consulta, que deve ser no início da gestação, ele avalia a gestante e a orienta sobre como evitar e/ou tratar as doenças para manter a saúde oral. Uma higiene deficiente pode levar à formação da placa bacteriana, que favorece o surgimento de doenças gengivais, como gengivite. Também as alterações hormonais características da gravidez tornam a gestante mais susceptível à doença. Quando não tratada, em geral evolui para uma periodontite, podendo resultar em parto prematuro ou nascimento de bebê com baixo peso.

A gestante está mais vulnerável à presença de cárie, pela dificuldade de higienizar a boca, muitas vezes relacionada a náuseas e vômitos, comuns no período, e pelo aumento do número de vezes em que deve se alimentar, o que pode fazê-la negligenciar a higiene.

Embora haja diversos mitos nesse assunto, o atendimento odontológico na gestação é seguro! Deve ser feito de preferência a partir do segundo trimestre, quando a gravidez já está mais estável. Mas a grávida pode realizar tratamentos de urgência em qualquer época caso apresente dor ou infecção oral. Se precisar, pode até fazer radiografias com segurança, basta usar avental de chumbo.

Ela será instruída ainda a adotar uma alimentação balanceada. A alimentação correta auxilia também na formação dos dentes de leite, que se inicia na sexta semana de vida intrauterina.

O odontopediatra vai orientar a gestante igualmente sobre a higienização de sua boca, bem como realizar profilaxias frequentes. O pré-natal odontológico envolve também orientações quanto à alimentação do bebê, prevenção de doenças e cuidados com sua saúde oral.

A mãe receberá informações sobre como realizar a limpeza da boca do bebê e a importância do aleitamento materno. Se não pode amamentar, a mãe é orientada sobre o aleitamento artificial.

A primeira consulta da criança ao odontopediatra deve ocorrer entre 6 meses e 1 ano, quando os dentes de leite começam a nascer. Portanto, primeiro dente é igual a primeira visita! Um pré-natal odontológico feito com amor, dedicação e orientação traz segurança parta a futura mamãe e ensina que a saúde começa pela boca, especialmente pela boca da mamãe.

Odontologia Desportiva

A Odontologia Desportiva vem crescendo muito nos últimos anos no Brasil e no mundo. Clubes e seleções de vários países começaram a se preocupar com a saúde bucal de seus atletas e passaram a inserir nas comissões técnicas mais um profissional: o Dentista. De acordo com a Academia Americana de Odontologia Desportiva o uso de protetores Bucais diminui em até 80% os riscos de trauma dental!

Consulte o seu dentista e saiba mais sobre os protetores esportivos!

Proteja seus dentes, lábios e bochechas durante a pratica de esportes!

Por que fazer um protetor esportivo com o meu dentista?

Uma boa adaptação do protetor é fundamental para que a absorção de impacto seja a mais eficiente possível e para que você possa respirar e ingerir bebidas para re-hidratação durante a prática esportiva. Assim não é recomendado o uso de protetores pré-fabricados.

Uso aparelho fixo, posso usar protetores esportivos?

Claro! Em pacientes que usam aparelhos ortodônticos pode-se usar os protetores confeccionados sob orientação do seu dentista nas arcadas superior e inferior, protegendo os lábios e bochechas de traumatismos.

Como devo guardar meu protetor?

Os protetores devem ser guardados em caixas perfuradas, evitando deixá-los expostos ao sol o que os protege de deformações.

Como devo higienizar meu protetor?

Sua limpeza é simples o protetor deve ser escovado com creme dental e lavado com água fria.

O protetor deve ser trocado?

O tempo de troca é definido pelo seu dentista que deve checar periodicamente a sua adaptação à boca, especialmente em crianças e adolescentes, graças à dinâmica de crescimento e transição de dentes de leite para dentes permanentes.

Clareamento Dental

Conheça e entenda as técnicas disponíveis na Clínica Sinthesi antes de escolher o seu tratamento

Basicamente, existem duas técnicas para realizar clareamento dental: a caseira e a clínica – esta última pode ser feita com laser. Garantimos que tanto a técnica caseira quanto a clínica alcançam resultados bastante satisfatórios e naturais quando bem executadas.

Técnica convencional

Consiste em uma moldeira confeccionada em material transparente e macio a partir do molde da arcada dental. Nela é colocado o gel, que deve ficar em contato com o dente por no máximo 2 horas, processo que deve ser repetido diariamente, num período de duas semanas. É um tratamento que depende da perseverança do cliente, pois ele não pode ingerir alimentos com corante, tomar café ou fumar nas 4 horas anteriores e nas quatro posteriores à sessão. A vantagem desse método está no custo mais baixo.

Técnica clínica

Nesse caso são necessárias apenas de 1 a 3 sessões no consultório, com duração de 40 minutos a 1 hora.

O processo é quase o mesmo, mas, além de utilizar um gel mais concentrado, existe o reforço da luz de LED. A vantagem da luz de LED é que ele realiza um tratamento preventivo contra a sensibilidade (que pode ocorrer em qualquer uma das técnicas). No entanto, vale ressaltar que essa prevenção não é 100% eficaz, assim, a sensibilidade pode vir a ocorrer independente da técnica utilizada.

Reabilitação Oral

Reabilitação Oral é um dos mais recentes recursos utilizados para cuidar de forma ampla de toda a dentição do paciente. È uma combinação de procedimentos que visa melhorar a saúde e a beleza do sorriso.

A odontologia moderna tenta preservar ao máximo a remoção dos dentes naturais, ou seja, mesmo que muito desgastados por maus cuidados, todos os tratamentos devem ser aplicados para que estes mesmos dentes permaneçam eternamente na boca dos pacientes.

Reabilitar é tornar hábil de novo, tornar viável e útil o que estava prejudicado. Por isso quando um paciente decide reestruturar seu sorriso, ele deve ser esclarecido de como cuidar da higiene dental com as informações básicas de quantas vezes ele deve escovar os dentes, a maneira correta de escová-los, o tempo de escovação, a respeito do uso do fio dental, da melhor pasta de dente, etc.

Spa Odontológico

Sabendo que muitas pessoas deixam de ir ao dentista por falta de tempo, A Sinthesi oferece um dia especial para você deixar o seu sorriso em dia. Na Sinthesi o tratamento é realizado em apenas um dia, economizando tempo e evitando aquele desgaste de várias visitas semanais ao dentista.

Cirurgia Plástica Gengival

Esta prática serve para retirar excessos de gengiva, corrigir assimetrias e recuperar retrações gengivais. A Cirurgia Plástica Periodontal apresenta diversas técnicas cirúrgicas que minimizam, mascaram, ou até eliminam o excesso de gengiva. Apesar da simplicidade, a habilidade do profissional e a colaboração do paciente nos cuidados pós-cirúrgicos são muito importantes para o sucesso da cirurgia.

Odontogeriatria

Com o passar do tempo, normalmente depois dos 60 anos ocorre uma significativa mudança, sobretudo na musculatura facial, tornando-a mais flácida, afetando a mastigação, a articulação e, consequentemente o paladar. Na Sinthesi você encontra profissionais especializados no atendimento à terceira idade. Eles estão aptos para orientar na necessidade de uma visita periódica ao odontogeriatra que promove ao paciente uma vida mais saudável.

Odontologia do Sono

Novo tratamento para o Ronco e Apnéia.

O que é o Ronco?

Engana-se quem pensa que roncar seja apenas uma circunstância incômoda. Esse é o um problema que atinge mais de 40% dos homens e 30% das mulheres adultas. O ronco é o principal sintoma de uma doença grave chamada Síndrome de Apnéia e Hipopnéia Obstrutiva do sono (SAHOS), podendo estar associado ou não à Apnéia do Sono e por isso requer atenção. Se não tratada adequadamente pode expor o individuo a uma série de situações de risco como: a hipertensão arterial, doenças cardiovasaculares e cerebrais, entre outras.

Uma das causas mais comuns, que levam o individuo obeso ou acima do índice de Massa Corporal Ideal “IMC” a roncar, é o excesso de tecido gorduroso, que pode alterar a anatomia por onde o ar deveria passar livremente.

Outras causas como: macroglossia (língua grande), micrognatia (queixo pequeno), retrognatia (queixo para trás), atresia do palato (céu da boca profundo) e hipertrofia das amígdalas, podem contribuir para o aumento do ronco e apnéia.

Quando ocorre a  SÍNDROME DE APNÉIA E HIPOPNÉIA OBSTRUTIVA DO SONO (SAHOS) OU SIMPLES APNÉIA?

A apnéia ocorre quando há obstrução parcial ou total da passagem do ar, provocando parada respiratória há mais de 10 segundos Essa parada respiratória pode se repetir várias vezes durante a noite, sem que a pessoa saiba, diminuindo a qualidade do sono, o que pode resultar em: sonolência diurna excessiva, prejuízo na capacidade intelectual, de concentração e uma diminuição da oxigenação do sangue em até 50%.

Quais são os sintomas MAIS COMUNS?

Noturnos: Ronco, pausas respiratórias, sono agitado ou com múltiplos despertares, insônia, nocturia (levantar várias vezes durante a noite para urinar), sudorese (aumento da transpiração em relação a uma pessoa normal)

Diurnos: Cefaléia matinal (dor de cabeça), sonolência excessiva, problemas de memória, redução da libido (impotência sexual), irritabilidade, sintomas depressivos, ansiedade.

Tratamento

Um dos tipos de tratamento é feito através do uso de Aparelho Intraoral, buscando o alívio dos sintomas, a redução da morbidade (número de pessoas sadias x doentes) e a melhora da qualidade de vida do paciente. É indicado de acordo com o diagnóstico realizado e a severidade do quadro clínico, após consulta médica especializada (Otorrino-laringologista Pneumologista, Neurologista) e auxílio do exame de Polissonografia e Raio X

Aparelhos Intraorais

Os Aparelhos Intraorais têm mostrado resultados muito bons A Academia Americana de Medicina do Sono considera o Aparelho Intraoral o tratamento eletivo mais indicado para o ronco e a Apnéia obstrutiva leve/moderada. Crianças também podem apresentar esta obstrução e seu tratamento será distinto do adulto.

O Aparelho Intraoral reposiciona a mandíbula, fazendo com que toda a musculatura orofaríngea (do céu de boca e da garganta) se tonifique desobstruindo as vias aéreas, deixando o ar passar sem que haja o barulho do ronco e a falta de ar. Desta forma, os aparelhos intraorais tituláveis, que possibilitam o avanço gradual da mandíbula, reduzem em pelo menos 75% o ronco e reduzem o índice de hipopnéia e apnéia em torno de 50% (apnéia grave) e 90% (apnéia leve ou moderada). Eles também são recomendados quando há insucesso cirurgico e intolerância ao C.P.A.P. (Aparelho de Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas).

É um tratamento doloroso?

Não. É um tratamento de fácil adaptação, não agressivo e reversível, pois com a ausência dos sintomas a vida do paciente ganha maior qualidade, além de eliminar o constrangimento para quem ronca e o desconforto para quem dorme ao lado.

Aqui você encontra o tratamento da APNÉIA e RONCO através de Aparelhos Intraorais.

Para maiores informações agende uma avaliação.

Distúrbios da Articulação Temporomandibular (ATM)

Alívio da sintomatologia articular e das dores de cabeça relacionadas ao mau funcionamento da boca.